PP – A Perturbação e a Publicidade

Ora, porquê este título? Em conversa no #filhosdeathena (PTnet) questionou-se se todas estas recentes notícias acerca de Assassinos em Série, não provocariam uma onda de novos Assassinatos. Imaginemos alguém em casa, olhando o ecrã com o seu sorriso sádico: Senhor com as mesmas características psicopáticas do que surge na televisão, mas que nunca tinha cometido um homicídio, fica com uma vontade imensa de experimentar e de ser também ele “famoso” (mesmo que não seja pelos melhores motivos…)

É um facto, por vezes factores como estes, podem ser desencadeantes de determinados comportamentos. E entramos assim numa espécie de “imitação” que leva a que as situações se repitam (Quantas vezes alguém não tenta repetir alguma história macabra que acontecera anos antes? Daí certos locais terem uma certa marca negra, sendo rodeados do medo que as histórias antigas se repitam… –> por vezes, esta é a minha explicação para o medo dos fantasmas…).

Mas não é só nos Assassinos em Série que o que passa na televisão se mostra importante. Pensemos nos suicídios. Estes são um exemplo claro da transformação de um caso isolado de suicídio, numa série de suicídios: o chamado Efeito-Werther. Imaginemos uma pessoa deprimida que se depara com a notícia de que alguém se suicidou. Para ajudar, se essa pessoa tivesse ideação suicida, mas não tivesse ainda pensado na melhor forma de o fazer, a notícia proporciona-lhe a informação extra, da forma (por sinal, eficaz) de como o suicida terminou com a sua vida. Não ficaria esta pessoa ainda com mais motivação para tentar o suicídio? Na semana seguinte a morte desta pessoa, por suicídio, é novamente notícia, e o efeito contínua para uma terceira pessoa, e assim por diante…

Deixo os casos da Anorexia Nervosa e da Bulimia para um próximo episódio, visto as perturbações do comportamento alimentar, serem também elas, por motivos óbvios, das grandes afectadas pela imagem que a televisão e os outros meios de comunicação trazem até nós.

E no fim de tudo isto: Então o que deve a televisão fazer, não nos informar? Então e o papel, não só das noticias, mas também dos filmes que abordam temas como este, ou os célebres e adorados filmes de assassinos em série? Na minha opinião, há uma grande diferença entre o impacto da ficção (sendo este bastante menor) e o impacto de relatos de situações que de facto ocorreram na vida real. No entanto, há que prezar a liberdade de expressão e informar o público, com o cuidado básico de não cair em sensacionalismos. (Para perceberem a que me refiro, a nossa TVI é o exemplo de precisamente o contrário…). Há que informar, mas saber como informar… Haverá necessidade de dizer que o rapazinho tomou não sei quantos comprimidos do medicamento X ou Y, ou basta simplesmente dizer que o rapazinho morreu?

Psicologicamente Informativa…

7 Respostas to “PP – A Perturbação e a Publicidade”

  1. Parvo Na Cadeira Says:

    Epá, quem vê os canais públicos merece morrer😡

    “Pessoa morre esmagada por empilhadora, os seus orgãos sairam da cavidade tóracica e ficaram dispostos no chão em forma do rosto de Jesus!” – exemplo de uma “notícia” hoje em dia.

  2. psig Says:

    LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL
    bem-visto=X

    ownaste-me mor =D

  3. Glu Glu, Sou Um Perú! Says:

    “Pessoa suicida-se durante uma TVI tour de 48 horas (televendas incluido)”

    =]

  4. Dunya Says:

    Eu penso que deve informar – mas com um contexto. Ou seja, não apenas despejar informar, mas contextualizar tudo. O que obviamente implica maior tempo a relatar a notícia – e agora as notícias são todas fast-food, rápido, rápido, já há ali uma nova catástrofe à esquina.
    O problema é esse – não há Demora, não há reflexão. Tipo, pensar para quê?

  5. acrisalves Says:

    Quoting
    Haverá necessidade de dizer que o rapazinho tomou não sei quantos comprimidos do medicamento X ou Y, ou basta simplesmente dizer que o rapazinho morreu?
    end of quote

    claro que sim! assim transforma-se o telejornal na décima oitava novela do dia! E não perca o próximo episódio!

  6. O Picador de Gelo Says:

    Ah… a TVI.

    PP – A perturbação e a publicidade

    Já tive oportunidade de pensar um pouco a propósito disto aqui
    e cá fica a pergunta:
    Afinal não somos nós que fazemos as escolhas do que vemos? Gostava que um dia as pessoas pudessem fazer um protesto não lig…

  7. monicaModas Says:

    Greetings! Very helpful advice within this article!
    It is the little changes that will make the largest changes.
    Thanks for sharing!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: