A crise dos vinte e poucos anos!

Sempre se falou na crise de meia de idade. As pessoas nos seus 40 – 50 anos, que vêem a vida a estagnar, os filhos casados ou a casar. Ficam sós, entregue ao seu cônjuge (ou entregues ao cantinho da sua casa para onde nunca conseguiram trazer companhia). A chamada fase do ninho vazio.

Mas então, e a crise dos vinte e poucos?

Uma pessoa acaba o curso (ou não), mas não faz a mínima ideia do que vai fazer dali a uns meses. Pior: Não faz sequer ideia do que quer fazer. Que dizer: quer ganhar o euro-milhões, mas como isso parece utópico continua a não saber o que vai fazer. (ou que não vai fazer)

Casamento ou casa nova ou carro (sim, nem todos conseguem ter carro antes), são desejos que não podem ser realizados de momento, porque: claro: não há dinheiro.

Não há emprego: não há dinheiro

Não há emprego: não há casinha

Não há casinha: não há casamentozinho

Não há casamentozinho: não há vida nova

Não há vida nova: mas também não há vida velha (os estudos acabaram)

Então há uma fase de vida intermédia e estranha, em que se quer o que não se tem, e não se tem o que não se quer… (porque não se pode ter o que não se sabe).

Confusos? É uma fase confusa…

E ainda falam da meia idade…Esta devia ser a fase da meia vida!

(Digam lá que meia vida não vos fez lembrar alguém que reencarnou numa pequena peúga?)

Psicologicamente na crise dos vinte e poucos…

About these ads

16 Respostas to “A crise dos vinte e poucos anos!”

  1. lunawinter Says:

    “(Digam lá que meia vida não vos fez lembrar alguém que reencarnou numa pequena peúga?)” HÃN?

    Já agora, tu não estás no meio dos vinte e poucos, sua velha! (humn, ou talvês não.) E mesmo que haja emprego, dinheiro e casa não podes casar com o tdmc, se não passas oficialmente a pedófila. :X

    E essa fase de vida intermédia não é bem assim.. Os pais ajudam a muitos (que psicológicamente não sairam ainda dos 15 anos de idade)… Há sempre imensos complementos de curso que se arrastam até aos 30 anos do individuo, etc.

    *

    (pedófila!)

  2. psig Says:

    meia..peúga… piada seca=X n ligues=X

    tenho 22=X=X looli e heyyyyyyyyyy somos praticamente da msma idd -_- 1 ano n conta!

    Ora, isso depende se os pais podem ou não ajudar (e digo ajuda financeira, porque deixar ficar na mesma em casa, sem fazer nada, a vegetar, não sei se pode ser considerado ajudar=P )
    E os complementos dos cursos…pois há…servem pra isso, arrastar, arrastar,so adiam o problema pra mais tarde=P

  3. Parvo Na Cadeira Says:

    É complicado, principalmente pelo factor dinheiro. Enfim… :\

    E eu sou pukanino não podes casar comigo :x

  4. psig Says:

    =X

    /me pats u =x

  5. acrisalves Says:

    O problema acho que não se trata de vegetar… eu estou numa fase assim… tenho de decidir o que quero fazer a seguir, mas isso implica ficar menos um ano a ganhar, menos um ano de independencia, e os pais podem ajudar mas não podem tudo… E depois há várias opções mas não se consegue ver agora qual a melhor… e os dias passam e cada vez há meos tempo para se decidir, mas tem de se decidir….

    (acho que isto … demonstrou o meu estado :S)

  6. psig Says:

    Pois, acho que o post também demonstrou o meu..

    Acho que é complicado ver que opções é que se devem seguir, quando são tantas, e ao mesmo tempo nenhumas…Isto é, há muito por onde escolher, mas hipoteses viáveis se calhar são muito poucas ou nenhumas. Parecem tiros no escuro a ver se se acerta ou não…

  7. Safaa Dib Says:

    Ah, bem vinda ao grupo, Sara! Não te aflijas se por uns tempos começares a sentir que a tua vida parou. Um conselho: tomar iniciativa, qualquer que seja, e não ligar a medos, hesitações e inseguranças. É uma boa forma de superar a crise.

  8. Pedro Miranda Says:

    aos 20 é “putas e binho berde”

    aos 25 é “então quando é que o mundo começa a girar?”

    aos 40 é “parem o mundo, deixem-me sair!!!!!”

  9. psig Says:

    Safaa obrigada=) Pode ser que não seja assim tão mau, no fundo, todos passamos por esta fase, e melhor ou pior a vida lá ganha caminho…é preciso é essa iniciativa

    Pedro loooooli então e aos 60? “tirem-me do caixão?”=X

  10. pocahontas Says:

    Pois é… parece que a nossa vida por vezes estagna, no entanto,quando olhamos ao redor existem imensas pessoas piores do que nós. Nós queremos a nossa independencia, carro, casa, viagens,… e eles… muitas vezes só pedem um pouco de comida, de saude, têm cancro, sida,tem braços ou pernas amputados,filhos perdidos,caras sem rostos, vidas acamadas, sem sentido, sem objectivos, sem esperança num futuro melhor.
    Sejamos felizes amigos, temos sonhos e objectivos a atingir, tempos uma vida com muitos momentos felizes. A tristeza que se dane não temos tempo para perder com ela.
    Bjinhos Pokahontas

  11. Suzane Ferreira Says:

    Vamos pensar de uma forma… vc não sabe o que quer, pode até ter dinheiro, mas não sabe com que gastar. Antigas práticas não lhe agrada, e parece que realmente o mundo mudou, ficou pequeno. O ideal de reprodução não é a sua meta de vida e não consegue achar outra alternativas além disso. A vida torna-se sem graça pois ela lhe obriga entrar em uma rotina sendo ela de estudo, trabalho ou família, você tem que se colocar em algum lugar na sociedade. Andar diferente, falar diferente, se comportar diferente era engraçado em seu tempo de adolescência, mas agora não é. Maiorias das práticas anteriores tornaram-se ridículas e como está no texto: cade o passado??? Como nessa imensa loucura e desesperadora situação podem falar uns aos outros para ter calma? Calma para chegar o momento onde um lugar ou uma figura lhe encaixará de forma confortável até chegar a sua outra crise (a dos 40 anos)? O que me incomoda não é ter crise, isso todo ser humano tem ou está constantimente, o que me incomoda é ter que me enquantrar em um gosto comum de costumes e conformismo, de ser o que querem que sejamos. São essas coisas que me deixam em crise e triste, pois não estou optando pelas oportunidades rotineiras, eu quero mais, contudo não vejo aqui nessa sociedade o que eu quero.
    ótimo texto!!!! Gostaria de achar livros sobre esse assunto, se alguem puder indicar serei grata!

  12. DINÁ Says:

    Olá pessoal, tudo bem. Estamos vivenciando o grande mal(atual) deste século que é : a depressão. Ela mtainge a todas faixas etárias, inclusive jovens e também crianças pois nossa vida cotidiana de correrias faz com que nos distanciemos daqueles que nos são importantes principalmente nas horas de conflitos, aflições, angústias, desesperos, tristezas, solidão, dúvidas, etc. quando uma palavrinha ou somente uma companhia são suficientes para superá-los né mesmo. Nosso emocional virou uma “caixa preta” indecifrável que qualquer choque pode detoná-la surpreendendo a todos e a nós mesmos!!!!!. Estou na faixa dos 40 e já beirando os 50 anos…..não tenho filhos, solteira….um punhado de irmão, sobrinhos e até sobrinhas-neta!!!!ou seja faixas etárias bem diversificadas né mesmo e…….conflitos mil a serem gerenciados desde problemas de escola, moradia, nomoros/casamentos, trabalhos, dinheiro/dívidas e por aí vai. Como cada um tem seus objetivos a seguirem ou executarem os encontros são esporádicos e cada qual vai tocando sua vidinha enquanto for possível adminitrá-la com tranquilidade….surgiu problema….se busca solução de forma coletiva(núcleo familiar)…que sempre acaba senão resolvendo mas pelo menos “segurando a onda” e ponto final. Os poderes públicos que poderiam auxiliar a seus cidadãos que trabalham e contribuem para o engrandecimento do país numa hora como estas simplesmente se omitem ou na maioria das vezes são os primeiros a massacrarem sem dó nem piedade. Portanto é preciso não perder de foco quem são as pessoas próximas para na eventualidade de uma “emergência” né mesmo!!!!!. A internet, com toda sua limitaçãqo, também ajuda…nem que seja como companhia provisória!!!! Abraços a todos e todas

  13. Kaléu Caminha Says:

    Queria agradecer pelo post.
    Acho que estou em um momento semelhante e é importante perceber que muitas pessoas passam pelo mesmo. Trás força.

    Publiquei um texto em fora de conto sobre a minha fase..minhas confusões pessoais..

    abraços e espero que seja útil pra alguém como foram para mim as suas indagações:http://www.kaleu.caminha.nom.br/educere/2009/05/29/a-busca-do-passaro/

  14. Karla Trajano Says:

    O pior da crise dos vonte e poucos anos é essa ansiedade que toma conta de nós, essa vontade de saber o que vem depois, essa impaciência. Não vejo a hora de ter 30 pra poder ver o que se passou como tudo se resolveu. Por que acho que ops vinte e poucos anos são os mais importantes e decisivos nas nossas vidas.

  15. Adriana Says:

    Concordo plenamente . Eu vi alguns comentários que dizem que os pais podem ajudar muito nessa fase, no meu caso é o contrário, eles atrapalham muuuito. Cobram demais de mim e não ajudam em nada e me faz sentir culpada por não ajudar mesmo que eu não possa ajudar. Para melhorar a situação, namoro há 6 anos e sei que eu terei que comprar meu carro sózinha, eu terei que bancar com grandes custos sózinha e além de tudo ainda sonho em fazer intercambio…
    fala sério… Faço concórcio para o carro, faço MBA para arrumar um emprego que pague melhor e logo depois farei o intercambio ~eu achoo… ai ai rsa

  16. Ikesss Says:

    A crise dos 20 e poucos anos, para mim, foi terrível. Achei que iria endoidar…

    Agora estou com 27, bem empregado, saudável e feliz, ehhe… Mas é uma fase muito perigosa esta, entre sair de casa, se formar, trabalhar…


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: