O Regresso de Salazar e vídeos de 10 gajas nuas na perigosíssima dança das cadeiras!

Quanto a Salazar, tem sido engraçado observar as polémicas que a sua nomeação como um dos 10 Grandes Portugueses, tem causado. Por um lado, os que consideram Salazar, como o melhor que Portugal teve, e que anseiam a sua vitória nesta votação. Por outro, os que se sentem ultrajados por ele estar na lista. António de Oliveira Salazar foi um nome marcante da nossa história, quanto a isso, acho que ninguém tem dúvidas. (E a presença de Álvaro Cunhal na lista torna-se deliciosa, por permitir estes tão famosos duelos políticos).

Para os que preferem fugir de politiquices, votemos em Fernando Pessoa ou em Luís Vaz de Camões.

Quanto às gajas nuas, são uma pequena mentirinha piedosa, para introduzir o tema do post de hoje: a Mentira. (Já sabem que eu acho piada em atrair gulosos para aqui, e depois não lhes dar o que procuram – Obviamente, para não se armarem em gulosos.)
E claro, que se o nome de Salazar volta a estar vivo entre nós, não poderíamos deixar de lado, a perigosidade inerente à dança das cadeiras…

O que queria eu falar sobre a mentira? Cada vez mais, tenho visto exemplos de pessoas que mentem, como respiram. Haverá necessidade das pessoas mentirem tanto?

E agora pensamos: quais são os objectivos da mentira?

Camuflar algo, que levaria certamente a que alguém, importante para nós, se chateasse connosco.

Ora, sabendo que a mentira tem perna curta, o mais provável, é que esse alguém, venha a descobrir a dita mentira, o que leva, inevitavelmente, a uma discussão maior do que a que surgiria na ausência da mentira. E toda a gente sabe isto, mas mesmo assim arriscam pela mentira. Claro que o fazem uma vez, duas vezes… e chega sempre a altura em que todas, ou quase todas, são descobertas…

– Mentir para nos vangloriarmos. A típica mentira do caçador que veio de mãos a abanar, mas diz que trouxe 20 coelhos para casa.

O que é nos interessa darmos uma imagem melhor que nós, do que a real, se as pessoas vão acabar por perceber que não somos assim? Aliás, vão acabar por perceber que não somos assim, e ainda por cima, que somos uns grandes mentirosos. Resultado: se o objectivo era passarmos a ser mais bem vistos, passamos é a ser ainda mais mal vistos do que verdadeiramente até podíamos ser.

– Mentir quando alguém nos pergunta algo que não queremos contar. O chamado “Estás a querer saber demais, levas com a mentira”.

Confesso que há quem mereça estas mentirinhas. Mas há sempre a opção de fugir do assunto, de dizer que não se quer falar nisso, que isso não têm importância, ou que a pessoa não tem nada a ver com isso. Não se fica com a fama de mentiroso, e talvez a pessoa perceba que é uma grande cusca.

– Mentir para prejudicar os outros.

Bem… se os fins são estes, os meios nunca podem ser bons. O que diz muito sobre o carácter da pessoa em questão.

– Mentir para não estragar uma surpresa
Esta talvez consiga ser das únicas formas positivas da mentira. Trata-se somente de esconder algo, para que passado uns dias, se provoque uma enorme felicidade numa pessoa. Claro que há surpresas e surpresas, e estava-me somente a referir às positivas. E mesmo assim há que ter cuidado com os mal-entendidos, para não transformar a surpresa num pesadelo…

– Mentir para não magoar alguém
Por vezes o objectivo é bom, mas o resultado consegue ser desastroso, se no futuro a pessoa não conseguir continuar a não dizer a verdade. Ponto que é bem visível, quando se trata de relações amorosas. Claro que há pequenas coisas, que talvez não faça mal “omitir”, e se evite assim que alguém fique momentaneamente triste. Mas há que pesar muito bem se a mentira vale a pena (será que alguma vez vale a pena? Por mais pequena que seja?), ou se não será somente um sinal de falha de honestidade perante alguém. Se uma relação conseguir aguentar todas as verdades, mesmo que algumas não sejam totalmente agradáveis, de certo que é uma relação mais forte, do que a que necessita de camuflar umas mentirinhas, para não magoar.

– Mentir só por mentir.
E estas são as mais irritantes. Aquelas, sobre as quais, nem se consegue perceber um motivo. Um mentir compulsivo, sem objectivos claros. Uma forma de estar. No entanto, são também as pessoas que mais estragam a sua própria vida, porque mesmo que um dia estejam a dizer a verdade, serão sempre desacreditados.

Se as consequências negativas da mentira são tão visíveis, porque continuam a existir por aí em tanta quantidade? Podendo trazer alguma vantagem imediata, a mentira é somente o reflexo de relações humanas mal construídas. A presença da mentira, será sempre o primeiro passo para a ruptura…

Psicologicamente verdadeira.

(Aproveito para salientar a mudança d’ O Factor F, para o wordpress. Prometo que não é mentira, e aconselho a visita)
😉

33 Respostas to “O Regresso de Salazar e vídeos de 10 gajas nuas na perigosíssima dança das cadeiras!”

  1. Parvo Na Cadeira Says:

    Infelizmente quem não aprende a mentir na nossa sociedade não vai muito longe, porque a mentira é mais bem vista que a honestidade.

    Basta olhar para os políticos que nunca se enganam em nada e nunca admitem erros, ao contrário do que aconteceu em Espanha há uns dias que o primeiro-ministro pediu desculpas por declarações que fez, tarde, mas pediu.

  2. Parvo Na Cadeira Says:

    Já agora, obrigado pelo link :]

  3. Fontez Says:

    Mentir por mentir é doença!
    A mentira é boa aluna, mas solitária.
    Aproveita sempre o momentos de tensão para se fazer útil…, se bem que há mentiras necessárias, mas raras.

  4. acrisalves Says:

    Mais engraçado, para mim, são aqueles factos aberrantes, que nos fazem passar por mentirosos…. depois, só ficamos com a fama… :S

  5. Psicologicamente... Says:

    Bem..se ha coisas odiosas, é ficar com a “culpa” de algo que não se fez.

  6. oyadama Says:

    Eh, lying on its own to do anything for either personal gain or to harm another, hell lying in general is something that is uncalled for.

    White Lies as they say, are not good either. Be true to yourself, be open and don’t lie about things. Doing so means you can’t be trusted, and that… thats one of the worst things.

    People who lie, whether compulsive; vindictive; or because they are trying to help someone… that is not needed. Be yourself, and you won’t be hated when your lie is caught.

    I personally end up finding out if anyone has lied to me, and then I call them out on a wide spectrum… lying isn’t needed… those who lie deserve whatever comes to them, even if they were trying to help.

    All lies are hateful and hurtful. Would you like it if you loved someone and the love they said they had for you was a lie? I know I wouldn’t… and I know I didn’t.

    There’s no justification for liars, there’s no need trying to say that maybe its ok. Its not, and its wrong.

  7. oyadama Says:

    I should probably also mention that I understand (know) the (real) reason this blog post was made… just thought I’d let that out.

  8. Psicologicamente... Says:

    hmm…Por causa do titulo do post ser “chamativo de views”?

  9. oyadama Says:

    No, you should know how I know… but eh. I gotta go finish my ‘project’.

    Lies, they fill everywhere and there’s no getting away from them… but the thing is, I can’t lie… why? Because I’ve been lied to too much and I am not the type of person to hurt people the way I have been hurt, but I will ruin them if they get caught in a lie, like someone has.

    So take into effect that I am not able, nor willing to lie, even online. I would never get involved with someone if I had a relationship with someone else, I would never say things to them and getting their dreams all mixed up, and then to screw up and them finding out about the fact that all of it was a lie…

    weird, I just ranted there. My bad. I could go on, but the feelings end up being too ‘morbid’… ea.

  10. Parvo Na Cadeira Says:

    Este cámone ‘tá todo fodido Oo

    Sinceramente oyadama, sai do teu quarto e vai à rua, ‘tás todo fodido da cabeça e isso desiquilibra o teu karma.

    Respira ar fresco e tira as merdas da cabeça.

  11. Parvo Na Cadeira Says:

    P.S.: Um pouco de investigação e podes descobrir que aquilo que achas é um equívoco.

  12. oyadama Says:

    Mistakes are to be had, though I know I am not mistaken at the moment. I’m done though, I said what I wanted to say on this subject, and there’s nothing left for me to say other then… karma, tis a bitch.

  13. Ricardo Miguel Pina Says:

    Em tudo o que diz respeito a verdades e mentiras sou muito céptico… Não era verdade antes de Copérnico que o Sol girava à volta da Terra?… Não era verdade para Aristóteles que os seres vivos se reproduziam por geração espontânea?… Não era mentira antes de Darwin qualquer relação do Homem com os outros animais?… Verdade é aquilo em que acreditamos…

  14. Parvo Na Cadeira Says:

    Ricardo, não exactamente, se eu estiver à beira dum precípicio e acreditar que há uma ponte, a verdade é que morro estatelado no fundo do precipício. Mas sim, as verdades em que por vezes acreditamos são mentira, mas são mentiras não intencionadas, são mentiras que se acham em procura da verdade.

  15. Psicologicamente... Says:

    Sim…sem duvida que a verdade é um conceito relativo. Mas não me referia às verdades universais… mas às verdades concretas do dia a dia, das coisas que fazemos ou não fazemos, sitios que vamos ou não vamos, coisas que dizemos ou não dizemos. Coisas e factos objectivos, onde há realmente uma verdade e uma mentira indiscutiveis =)

  16. Ricardo Miguel Pina Says:

    Toda a verdade é uma construção, Sara. Nenhum de nós vive o mundo tal como ele é, mas todos vivemos na interpretação e construção que fazemos dele… Entendo o que queres dizer com as verdades e mentiras do dia-a-dia, que consideras indiscutíveis porque são facilmente verificáveis, mas mesmo os mais pequenos acontecimentos do quotidiano só são reais para nós se os percepcionarmos, de alguma forma, e toda a percepção implica inevitavelmente uma interpretação e, como tal, uma deturpação da realidade… Pelo que nunca existe uma aproximação completa àquilo que é a Realidade… Já leste Kant;)?

    Parvo na Cadeira, assinalaste o ponto de vista da intencionalidade, isto é, das mentiras não intencionais / intencionais. A questão é exactamente essa. A verdade é aquilo em que eu acredito. Estarei a ser mentiroso quando disser ou fizer algo em que, realmente, não acredito… Mas estarei a ser verdadeiro se seguir as minhas convicções, podendo elas ser diferentes das tuas ou de qualquer outra pessoa… Conheci e conversei uma vez uma pessoa que acreditava que era Deus, e ninguém lhe tirava isso da cabeça… Era verdade? Não para mim, mas para ele era… Porque ele assim acreditava.

  17. Ricardo Miguel Pina Says:

    PS: escrevi um post precisamente sobre isto no meu blog, que já se encontra nos arquivos. Nele está a minha opinião, melhor fundamentada, para quem se quiser dar ao trabalho…

  18. Psicologicamente... Says:

    Já lá fui procurar o teu post, e concordo com tudo o que disseste, bem como com as ideias de Kant.

    Acho que cada um de nós tem a sua verdade de cada um dos fenómenos que acontecem, o resto, ou uma chamada “verdadeira verdade”, será o equivalente ao dito númeno de Kant, será a realidade. Se calhar posso usar um bocadinho o exemplo da árvore que caiu, mas que ninguém viu ou ouviu cair. Para todos, a verdade era que a árvore não caiu, mas a realidade é que ela está caida.

    E sendo a verdade de um, a mentira de outro, em termos de relações humanas isto poderá levar a equivocos, é verdade.

    No entanto, e apesar de toda esta subjectividade de conceitos, acho que podemos dizer que devemos ser tão sinceros para nós próprios, como para os que nos rodeiam.
    Este tipo de mentiras a que me referia, são mentiras conscientes, ou intencionais, como disseram acima. A própria pessoa sabe que não está a dizer a verdade, o que faz com que se torne numa mentira. E na relação entre duas pessoas, se ambas concordarem que se disse uma mentira, então é porque de facto se disse uma mentira (na perspectiva daquelas duas pessoas). E isso vai ter consequências na relação…

  19. Ricardo Miguel Pina Says:

    Sim, as mentiras conscientes/intencionais são aquilo que por ventura se poderiam considerar as verdadeiras mentiras, porque não existe nenhuma convicção de parte de quem a diz, embora se encontrem maravilhosas representações…
    Mas voltando ao teu post, acho que há tantas razões para se mentir quantas as motivações e desejos humanos. A mentira «real» não é inócua nem injustificada: ela serve sempre um propósito, que pode ser uma realização de um desejo (de vangloriação, como disseste) ou uma defesa (surgindo a mentira em lugar daquilo que não queremos aceitar). Em todos os casos, acredito que ninguém mente só por mentir… Todos mentimos por alguma razão e com algum propósito, mesmo enganados por esse propósito que pode também ele ser uma mentira…

  20. Ricardo Miguel Pina Says:

    A propósito de mentiras… onde é que estão as 10 gajas nuas?…😉

  21. Parvo Na Cadeira Says:

    “Conheci e conversei uma vez uma pessoa que acreditava que era Deus, e ninguém lhe tirava isso da cabeça… Era verdade?”

    Não tens conhecimento suficiente para confirmar a veracidade da afirmação.
    Só há duas hipóteses, ou ele é Deus e está a dizer a verdade, ou não é e está a mentir.
    O facto de ele acreditar que é Deus só o torna Deus perante ele, não lhe conferindo omnipotência, portanto seria uma mentira que para ele era verdade, mas que na verdade não o era. É portanto uma ilusão.

  22. Ricardo Miguel Pina Says:

    Parvo Na Cadeira, queria evitar fornecer estas informações, por razões óbvias, mas talvez não me tenha feito entender devidamente.
    Acontece que conheci essa pessoa no Departamento de Psiquiatria do Hospital onde estagiei, no qual ela estava internada devido a um surto psicótico de esquizofrenia. Encontrava-se lá havia pouquíssimo tempo e a medicação ainda não tinha surtido efeito. Ilusão?… Ilusões são miragens, erros de percepção… Do que esta pessoa sofria era de um delírio, e acreditava nele tão veementemente quanto eu acredito que estou a escrever este comentário… Seria ele, de facto, Deus? Realmente não sei, mas na minha verdade ele não o era, e na tua aparentemente também não… Contudo te garanto que era pura veritas para ele… Cada um tem a sua verdade, que é aquilo em que acredita. Na tua e na minha verdade ele pode não ser Deus, mas para Pilatos Jesus Cristo também não era Jesus Cristo…

  23. Parvo Na Cadeira Says:

    OK, OK, estava só a separar as verdades subjectivas, da verdade universal (se é que existe alguma).

    Eu percebi desde início o que quiseste dizer, estava a mostrar apenas perante a minha percepção da realidade, que ele de facto não era Deus (o que de qualquer maneira não podia afirmar, pois se ele é omnipotente eu não o conseguiria compreender a não ser que ele o quisesse).

    Usei “ilusão” como tradução para “delusion”, que é claramente como afirmaste um delírio. My bad.

  24. Cinel Says:

    Olá , Depois de Dias de desleixo, de abandono deste espaço resolvi deixar-me de mandriar, e dar-me a atenção que este blog merece🙂 .
    Este blog tem uma atracçao inexorável =),conhecemos por via de vários quadros de leitura e de flashbacks que outros contam😉 .
    Ao lermos todos os Posts estamos ja’ completamente rendidos. É impossível evitar de os ler 😛 .
    Apessar de estar a comunicar algo com relevância , às vezes
    isso só por si, não torna o que escrevo relevante🙂, quer seja esta correcta ou não. -> Isto vai para o meu amigo “Parvo Na Cadeira” PID ).
    O Salazar sempre foi um homem marcante para Portugal , e sempre o será , apesar de não ter vivido nesse tempo horrível =) .
    Estou a 100% de acordo, de ele estar nos 10 Grandes Portugueses =) .
    Estes actos transcritos por mim , é só para lembrar , que não me esqueci deste blog🙂 .
    Vale sempre apena mais um comentário , Mesmo sendo este Insignificante😦 .
    Um Abraço Para Todos Vos .:-,):-,) . End Of Pe

  25. dancingladybug Says:

    Não creio que pudessemos viver em sociedade sem mentir de vez em quando. Nem que seja quando nos perguntam
    -O que é que se passa?
    -nada.

    na verdade a maioria das pessoas recrimina menos estas pequenas mentirinhas convencionais do que ser-se realmente honesto. Porque isso já é “uma falta de educação”.

  26. Juana Says:

    A mentira já está mt entranhada (infelizmente)…até nas criancinhas. No outro dia, um miudito, dos seus 3 ou 4 anos, que não queria ir ao infantário, disse à sua mãezinha que lhe doía terrivelmente a barriga…minutos depois lá estava ele todo contente a brincar com a sua pista de F1. (isto num bocadinho que passei a ver uma novela, por acaso até era brasileira).
    há também alturas em que quase somos obrigados a mentir…(citando ‘dancingladybug’, respeitosamente lol)
    é errado e tal…mas necessário!
    Ora aí é que está o mal…
    *sempre opiniões sinceras*

  27. Psicologicamente... Says:

    Penso que o “Está tudo bem” falso, entra nas pequenas mentiras que só servem para nos poupar a nós(de falar do que não queremos) e aos outros (que perguntam por cortesia, e não para ficar ali a ouvir um desabafo). Não prejudica propriamente… e até é mais ou menos fácil distinguir a pergunta do “Esta tudo bem?” de quem passa por nós na rua, e do amigo que nos pergunta realmente se estamos bem.

    Toda a gente sabe (mesmo quem pergunta) que em determinados contextos não vamos estar ali a expor a nossa vida e os nossos problemas.

  28. Ana Isabel Costa Araujo Says:

    queria ver todos os videos de gaijas nuas

  29. Casimiro Says:

    Resposta a Cinel
    Eu vivi no tempo do Salazar. A única coisa boa quando o
    Salazar mandava era a questão da segurança. Havia
    poucos bandidos e se apareciam eram logo apanhados. Podiamos andar na nigt à vontade.
    Tirando isso era tudo muito mau. Havia muito mais miséria
    do que hoje, não podiamos falar à vontade, eramos
    presos ou mortos e ficamos o país mais atrasado da
    Europa, o que infelizmente ainda somos hoje
    Mas a pior asneira dele foi querer manter as colónias, o
    que provocou a morte de muitos dos nossos jovens
    ingloriamente.
    Por isso mesmo o 25 de abril foi e será um grande dia.
    Portanto acho que não merece estar nos 10 maiores
    Portugueses. Como é obvio se o Cunhal mandasse
    também tavamos bem lixados

  30. hunbas Says:

    E as gajas nuas??? xD

  31. Jorge Says:

    gajas a fazer sexo

  32. pedro Says:

    QUEM GOSTA DE GAJAS NUAS?
    EU GOSTO!
    vocês podem ir a esse site. Sempre à abrir!
    O « FLOGATO.COM» também é fixe, sabiam?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: