O Espaço, os Computadores e os Esquilinhos.

De volta aos caminhos dos blogs, cá estou eu para novas divagações e devaneios.

Ora, o que tenho eu para vos dizer hoje? Falemos em espaço, em computadores e em brinquedos novos. E isto porquê? Porque hoje escrevo-vos do meu brinquedo novo, em forma de computador, e com um aumento significativo de espaço em disco (e outras muitas coisas), em relação ao brinquedo velhote.

Não importa dar-vos as especificações técnicas do bicharoco, mas…. O que fazemos nós quando mudamos de computador? Começamos pela árdua (mas agradável) tarefa de passar todos os nossos documentos e afins para a nova máquina. E é nesta altura que notamos quão desarrumado tínhamos o disco antigo. Pudera, mal tínhamos espaço para qualquer novo ficheiro… (Muitos de vocês decerto já experimentaram a eterna saga do “apaga aqui, para instalar ali”).

Agora o que acontece? O grande lema “o espaço nunca é pouco”. Porque se passamos os 40 gigas do pc antigo para o novo, damos por nós a encher 60 do novo. É o milagre da multiplicação do espaço usado. (Isto tem várias explicações: porque só o próprio sistema operativo está a ocupar mais espaço, porque temos mais programitas xpto de origem e depois, claro, porque há sempre aquela coisita que não estava instalada porque já não havia espaço, mas agora é na boa, temos espaço de sobra).

Ainda me lembro da altura (a bela frase que dizemos a partir de uma certa idade) em que mudei para o pc dos 40 gigas de disco e….”wow, isto é espaço que nunca mais acaba”. Santa inocência… Agora, com a inocência perdida, sei que quanto mais espaço houver mais se gasta. (e isto chama-se o acompanhar da Evolução)

Pensando bem, é como em nossas casas. Quantos de nós não sofremos deste mesmo problema de “quanto mais espaço para arrumar as coisas, mais tralha temos arrumada?” Quando há pouco espaço, torna-se terrível pois não temos espaço para o essencial. Chegando a um certo ponto, com o aumento do espaço conseguimos guardar só o essencial. E depois… dá para o essencial e para o supérfluo. O cerne da questão está na definição entre essencial e supérfluo, e é interessante notar em como esta definição é tão dependente do espaço.

O que me leva a concluir, que quanto mais espaço tivermos, mais coisas essenciais arranjamos para lá guardar. (Será a minha veia esquilinha a falar?)

Vão lá deitar fora as velharias das gavetas…. Só lixo. Isso é supérfluo. Ou talvez seja melhor deitarem fora o móvel. Aí terão mesmo de deitar as velharias fora.

O espaço é importante.

Psicologicamente encontrando a importância do espaço.

4 Respostas to “O Espaço, os Computadores e os Esquilinhos.”

  1. Parvo Na Cadeira! Says:

    FIGHT CLUB!!!

    BURN IKEA!! lol

    Se pensarmos o suficiente nisso, tudo é supérfluo. Mas na sociedade consumista em que vivemos, se pensarmos que o dinheiro que ganhamos acaba por ser demais para o realmente necessário (e por isto entenda-se ter o que comer, onde dormir e ter o básico para a higiene) acabamos desmotivados para com uma sociedade que em vez de valorizar as pessoas valoriza objectos.

  2. Romagnoli Says:

    O computador, é uma máquina que deve ser ajustada ou adquirida, conforme a necessidade.
    Tem pessoas que o utilizam apenas para navegar na internet, ouvir música, digitar textos e etc…
    Acredito que neste caso, não é necessário uma máquina tão potente, assim como não se existe a necessidade de um maior espaço. Creio que para estes casos, um HD de 20, 40 ou 60, estariam de ótimo tamanho.
    Porem, com avanço rápido da tecnologia e, do surgimento de programas com maiores recursos, o espaço é algo que também é mais exigido.
    Eu por exemplo, uso um HD de 180gb, visto que utilizo de programas que a cada ano, ocupam cada vez mais espaço e também necessitam de mais memória ram, mais vídeo e etc…
    Tudo vaí de acordo com a necessidade!

  3. MN Says:

    Todo o bom informático sabe que os recursos necessários crescem sempre misteriosamente até atingirem os recursos disponíveis. É um axioma universal.😉

  4. Romagnoli Says:

    MN…
    Você está certo!
    Tanto que programas, como exemplo os games, evoluem conforme a tecnologia disponível.
    O que eu tentei enfatizar, foi a necessidade individual de cada pessoa, em cima da tecnologia que o mercado oferece.
    Tem pessoas que usam o pc, apenas para ler emails e jogar a paciência do windows, e para estas, não vejo necessidade de um computador de última geração, ou grande necessidade de espaço em disco.
    Na realidade não vejo necessidade sequer de ter um pc!
    Hahahahahahahahahahahahaha!!!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: