2007, os Morangos, e as Próteses Dentárias!

E este é o primeiro post de 2007 deste blog. É altura de ter os desejos feitos, as novas resoluções e desejos. Ah não, esperem, isso já foi há cinco dias, hoje é dia de começar a esquecer todas as promessas e desejos e voltar à rotina habitual.

Porque na verdade, é essa a tradição: comemorar em grande a passagem de calendário, e esquecê-la novamente assim que acaba esta época festiva. Porque qual é a diferença do último dia de 2006, para o primeiro de 2007? É mesmo essa, um calendário novo.

No entanto cá ficam os desejos de um óptimo 2007. “Que seja melhor que 2006”, como se costuma dizer (Mas porque será que o ano que vai passar tem sempre de ter karma de mau?)

Para o ano voltaremos a receber sms’s daquelas pessoas que não nos falam durante o ano todo…

Para o ano voltaremos a desejar que 2008 seja melhor que 2007.

Para o ano voltaremos a ter novas ideias, novos desejos, que em grande parte, serão exactamente os mesmo de agora.

Para o ano voltará a haver fim de ano.

E porque este post, não poderia ser somente um post de ano novo, já repararam num anúncio para “cola” para próteses dentárias, em que a senhora diz:

“Agora já posso voltar a roer uma maçã” –> Até aqui tudo bem.

“Agora já posso comer morangos. Eu que adoro morangos” – uh? É só de mim, ou os morangos até são um fruto molinho e pequenino? Oo

Bem sei que não tenho experiência pessoal com próteses dentárias (ainda não cheguei lá, ainda bem!), mas….não haveria melhores exemplos?

Psicologicamente desejando um feliz 2007, livre de próteses dentárias saltitonas que não deixam comer morangos!

Anúncios

Suga-me!

sugus!sugus!

Suga-me, suga-me! Dizem-vos estes pedaços de doce. Sorriem para os que suguem. E não resistem, eu sei que não. Quantos de vós, após comer um, comeram outro e mais outro? Difícil parar?

 Não são pequeninos vícios?

E ainda são recordações de infância. Não vos provocam nostalgia? “Tanto que eu adorava isto, deixa-me lá comer um”. Mais nunca é um. Oh nãoo, nunca é um!

Nunca foi um…

 Psicologicamente sugada…

 

A Coca-Cola e os Zombies

Andava sozinha pelas ruas da cidade, enquanto bebia uma Coca-Cola fresca. Anoitecia. Procurava alguém, sem saber ao certo quem, quando de repente percebi o que tinha acontecido: Zombies por todo o lado e mundo estava a cair nas suas mãos (ou nas suas boquinhas sedentas).

A estrada, totalmente ladeada por seres a cair aos pedaços, grunhindo estranhamente. Senti-me a passar no verdadeiro corredor da morte. Até que…reparei nas suas faces mortas…e eles estendiam os braços tentando retirar-me a Coca-Cola das mãos. Assim que percebi que os seus grunhidos se dirigiam à lata e não a mim, depressa a dei a um deles. Todos ficaram em redor do possuidor do liquido castanho com gás, tentando beber um pouco…

E assim que bebiam, caíam mortos (mesmo mortos), prostrados no chão…
Havia descoberto a salvação do mundo: a Coca-Cola!

Psicologicamente zombie…

(PS1 – Hoje deixo-vos somente, mais um pequeno e recente sonho)

(PS2 – E já que falo de zombies, aproveito para deixar uma pequena nota de publicidade: Undead, Dead Ahead)

Trincar ou dar festinha?

Hoje veio-me a memória uma grande questão que perturba todos os vegetarianos do mundo. Mas não falemos em “carne” no geral, falemos em: COELHOS! descrição (coelhinhos fofos…antes)

Conheço várias pessoas, que apesar de comerem outros tipos de carnes, não comem coelho. E isto porquê? É um animal fofo e adorável… Criamo-los com carinho, se for preciso dão-se festinhas e afins, e depois, pimba! Já está no ponto para o prato… fica a sensação que se enganou os pobrezinhos, e depois, no fim, atraiçoados pela morte, vão parar a cozinha… Não é estranho? Não sei…imaginem-se na pele dos bichinhos? Ali o dono a levar couvinha todos os dias, e a ouvirem coisas como “ah tão fofo”; “owhh tão giros”. Vê-se os animais nascer, crescer….para morrer. É doloroso…

Podem dizer “mas os vitelinhos também são giros, os leitões também são giros…as ovelhas também são giras…”. Mas a sensação não é a mesma, não é aquela coisinha semelhante a um gato, que se pega ao colo… É diferente, digam o que disserem…é carninha de coelho :S descrição (coelhinhos na mesa… depois)

Psicologicamente coelhinha…