1 ano e Magic Zombies!

Após completar 1 ano, no passado dia 8 deste mês, é com satisfação, que se ultrapassaram as 200.000 views. Aproveito para agradecer os prémios que se vão acumulando ali na barrinha lateral direita.

Em jeito de novidades, bem, finalmente chegou o Verão (ou assim parece)!

Aproveito para divulgar alguns eventos:

Para os Adeptos de Magic The Gathering, este é o fim-de-semana para a Release de 10ª Edição. Aproveitem o Magic Game Day. Eu aproveito para dizer mal da Devir, tendo em conta o evento único em terras de Lisboa (na Loja Arena). Sendo o lançamento de edições básicas, uma oportunidade por excelência de trazer novas caras ao jogo, e de velhas e novas caras aproveitarem ao máximo o torneio, acabam por ficar as pessoas limitadas a um único local. (Isto porque para quem tenha de se sujeitar a transportes públicos, torna-se mais complicada a deslocação até locais como Almada, Linda-a-Velha, Setúbal ou Sintra). Enfim, penso que deveriam ter em conta a acessibilidade e o número dos locais.

Por outro lado, outro evento que merece divulgação trata-se do ZOMBIE WALK LISBOA. Pois é, dia 31 de Agosto (Dia 31 de Outubro), vista-se de zombie, prepare-se para grunhir e venha até à Praça do Comercio em Lisboa, pelas 15h.

Vejam aqui mais informações: Zombie Walk Lisboa.

E é mesmo isso que estão a ouvir, uma passeata de zombies! Despenteiem os cabelos, rasguem roupas velhas, sujem-se de sangue falso, pintem olheiras e feridas, e venham juntar-se aos outros zombies que irão passear por Lisboa.

Além de eventos, aproveito ainda para divulgar uma ferramentazinha engraçada:

StumbleUpon

Aqui está o verdadeiro conceito de Zapping pela internet. Esta ferramenta permite adicionar uma pequena barra ao vosso browser (firefox; ie) que vos permite “stumble”. Isto é, escolhem uma lista de temáticas que vos agradem, e assim, sempre que carregarem “stumble”, surge um site acerca dessas mesmas temáticas. Encontram-se coisas engraçadas, que de outra forma não nos lembraríamos de pesquisar.

Psicologicamente informativa…

Agosto

Agosto é por excelência o mês das férias. As escolas fechadas, fazendo com que os pais escolham este mês para as férias de família, o clima a ajudar… indubitavelmente em Agosto o ritmo de trabalho decresce.

 As grandes cidades parecem mais sossegadas. As pessoas deixam de andar tanto de um lado para o outro, o metro fica mais calmo, etc etc

 Por seu lado as praias enchem, e os destinos turísticos transformam-se em sardinhas em lata.

 O metro transforma-se em sossego e a praia passa a ser a nossa latinha de sardinhas na qual praguejamos estar o ano inteiro. Ironia das férias talvez…

 Nada como procurar o sossego, no único mês anual em que podemos descansar. No entanto, o cansaço das férias: fazer malas, viajar, longas filas (com sorte um acidente….), chegar a uma casa ou acampar, andar de um lado para o outro, do outro para o outro, voltar a fazer as malas, voltar a passar pelas filas…chegar a casa, desfazer as malas e descansar… ou não… as férias acabaram.

 Se infelizmente não podemos ter ferias em Agosto, sentimo-nos massacrados. “Como é possível trabalhar com este calor?” “Como é possível trabalhar quando todos se divertem?”

Se infelizmente temos de ficar em casa, seja por falta de dinheiro, seja por falta de companhia, seja por opção (sim, pode ser uma opção), ouvimos milhares de vezes “então este ano não vão para lado nenhum?”

Se infelizmente vamos para a sardinha em lata…queixamo-nos que chegamos ao fim das férias ainda mais cansados do que no seu início.

Se infelizmente não somos ricos, não podemos pagar umas férias de luxo….

 Psicologicamente elegendo Agosto como o mês mais detestável do ano… (surpreendentemente, passamos o ano inteiro, muitas vezes, à espera que ele chegue…)

Paranóia

Alguma vez se sentiram verdadeiramente paranóicos?

A entrada no metro é feita olhando com ar desconfiado para os que vos rodeiam: “Parece que me olham…”

Sentem-se o centro do universo e em simultâneo um pequenino grão de areia sem especial valor.

A sensação de estranheza acompanha-os no resto do percurso. Uma espécie de incómodo como se algo se tivesse transformado no mundo.

Irá acontecer algo estrondoso e tudo isto é um sentimento premonitório? Provavelmente… O tempo está também ele estranho, o calor sufocante que adivinha catástrofe natural para breve….

E assim se mantém a sensação até se encontrar um amigo de longa data:

“Então meu, o que se passa?”

“Hm..? Porquê?”

“Já olhaste para ti?”

“What?”

“Estás…de..pijama?”

 

Psicologicamente adormecido…

Em busca do fim-de-semana perdido

 

Hoje já é finalmente sexta…finalmente. Olhaste o calendário e era terça.Mas poderias jurar que era sexta, que amanhã acordavas ao meio-dia e tinhas o dia livre (de facto tens o dia livre, provavelmente foi essa a tua confusão: tens, não tens? Ou confundo-me eu, e não o tens?).

O tempo justifica. Está um dia quente e cinzento. A neblina que te inunda em nostalgia deixa as suas marcas no teu corpo. Perdes a energia de outrora e fechas os olhos com sono.

Que idade tens tu, corpo morto que deambula na estrada?

Que idade tens tu, alma que ninguém vê?

“Que dia é hoje?”

Perguntaste e ninguém te respondia.Procuraste o calendário e descobriste nele marcada a última sexta-feira em que vivias.

Psicologicamente Confuso…