Breaking the Magic with Haruhi Suzumiya

Hoje aproveito para vos mostrar a minha primeira “mini-história aos quadradinhos”. Pois é, já há uns tempos que andava a dar uma ajudinha na pintura desta comic. (Inda não conheciam? Estão à espera de quê? Temáticas: Magic: the Gathering, Boardgames, e agora Anime).

No entanto, apeteceu-me experimentar fazer mais do que uma pequena ajuda a colorir, e aqui fica o resultado.

(Hey, se não conhecerem The Melancholy of Haruhi Suzumiya, não sei se vale muito a pena verem. Não vão achar graça.)

Ficou a tentativa. Quem sabe haverá mais…

Anúncios

1 ano e Magic Zombies!

Após completar 1 ano, no passado dia 8 deste mês, é com satisfação, que se ultrapassaram as 200.000 views. Aproveito para agradecer os prémios que se vão acumulando ali na barrinha lateral direita.

Em jeito de novidades, bem, finalmente chegou o Verão (ou assim parece)!

Aproveito para divulgar alguns eventos:

Para os Adeptos de Magic The Gathering, este é o fim-de-semana para a Release de 10ª Edição. Aproveitem o Magic Game Day. Eu aproveito para dizer mal da Devir, tendo em conta o evento único em terras de Lisboa (na Loja Arena). Sendo o lançamento de edições básicas, uma oportunidade por excelência de trazer novas caras ao jogo, e de velhas e novas caras aproveitarem ao máximo o torneio, acabam por ficar as pessoas limitadas a um único local. (Isto porque para quem tenha de se sujeitar a transportes públicos, torna-se mais complicada a deslocação até locais como Almada, Linda-a-Velha, Setúbal ou Sintra). Enfim, penso que deveriam ter em conta a acessibilidade e o número dos locais.

Por outro lado, outro evento que merece divulgação trata-se do ZOMBIE WALK LISBOA. Pois é, dia 31 de Agosto (Dia 31 de Outubro), vista-se de zombie, prepare-se para grunhir e venha até à Praça do Comercio em Lisboa, pelas 15h.

Vejam aqui mais informações: Zombie Walk Lisboa.

E é mesmo isso que estão a ouvir, uma passeata de zombies! Despenteiem os cabelos, rasguem roupas velhas, sujem-se de sangue falso, pintem olheiras e feridas, e venham juntar-se aos outros zombies que irão passear por Lisboa.

Além de eventos, aproveito ainda para divulgar uma ferramentazinha engraçada:

StumbleUpon

Aqui está o verdadeiro conceito de Zapping pela internet. Esta ferramenta permite adicionar uma pequena barra ao vosso browser (firefox; ie) que vos permite “stumble”. Isto é, escolhem uma lista de temáticas que vos agradem, e assim, sempre que carregarem “stumble”, surge um site acerca dessas mesmas temáticas. Encontram-se coisas engraçadas, que de outra forma não nos lembraríamos de pesquisar.

Psicologicamente informativa…

Vencedores e Vencidos – O Mundo dos Jogos

E porque não podia deixar um mês em branco, no espaço que é este blog, hoje decidi falar-vos um pouco sobre Jogos.

Os jogos são por si, uma forma de entretenimento. Eles servem para nos divertir, para nos fazer aprender algumas coisas, para nos exercitar a mente ou o corpo, para nos mexer com a auto-estima, etc, etc.

 Existem, como em tudo, vantagens e desvantagens no mundo dos jogos. Como grande desvantagem coloca-se obviamente o vício. Especialmente, nos tão malfadados jogos a dinheiro, o vício no jogo é um problema grave, que pode ter repercussões terríveis na vida de uma pessoa. Mas não venho aqui para vos falar do flagelo dos casinos, ou da destruição de vidas que o jogo pode provocar. O objectivo é muito mais simples, e pretende adequar-se um pouco a cada um de nós, que de vez em quando (com maior ou menor frequência), jogamos um ou outro jogo.

 Jogos não faltam por ai: Jogos de Computador, Jogos de Consolas, Jogos de Cartas, coleccionáveis ou não, Jogos de Tabuleiro, Jogos de Futebol, Basquetebol, Andebol (etc); Jogos de tudo e mais alguma coisa. Alguns de nós, gostamos mais deste vasto mundo de jogos do que outros, alguns de nós temos um jogo especifico que nos dá um prazer especial, enquanto outros gostam de experimentar uma e outra coisa, sem ter chegado a favoritos.

 Mas certos detalhes, são comuns a todos os Jogos: quando se joga, existem vencedores e vencidos. Este é um facto, muitas vezes desejado, e muitas outras vezes difícil de digerir. Quem não conhece alguém com um mau perder terrível? Ou até com um mau ganhar, porque não?

 Pessoalmente, não considero ter um mau-perder, mas sim um mau-errar. Isto é, é diferente quando perdemos um jogo, porque de facto não conseguíamos ter feito melhor, ou porque o adversário tinha grande vantagem (melhor conhecimento, melhores cartas, maior treino, melhor capacidade física, etc etc) do que quando perdemos, porque cometemos um erro que consideramos idiota (porque estávamos desatentos, por exemplo). Uma vitória recheada de erros por parte do vencedor, não tem o mesmo gosto de uma vitória limpa em erros. Ao mesmo tempo, uma derrota num jogo em que nos sabíamos perfeitamente capazes de vencer, tem um travo amargo de culpa e irritação. Isto é muitas vezes confundido com o típico “mau-perder”, mas é quanto a mim totalmente diferente. Por mais que praguejemos contra o outro, sabemos que a culpa da nossa irritação foi de nós próprios, e essa sim é a sensação insuportável: a de cometer um erro básico, o que faz com a nossa prestação fique aquém do que somos capazes.

 “Mau-Perder” é não reconhecer, após um jogo limpo, que o outro foi melhor. É não saber compreender, que umas vezes perdemos, outras ganhamos. É não saber reconhecer que de facto há quem jogue muito melhor que nós, que tenha muito mais experiência, que tenha muito mais capacidade.

 Muitos são aqueles que dizem “que devemos jogar para nos divertirmos, não interessa quem ganha ou perde”. É uma verdade, se não nos divertirmos, não vale a pena jogarmos. Mas não vamos ignorar, que todos jogamos para vencer. Um jogo é por definição uma forma de encontrar um vencedor. E não é isso que procuramos? Tentar vencer? Isso não significa que sejamos mesquinhos e desejemos passar por cima dos outros para alcançar a vitória. Significa sim, que podemos divertirmos, ao mesmo tempo em que procuramos uma vitória justa. Ou simplesmente saber apreciar o que os outros têm para nos ensinar, para que um dia sejamos o mesmo que eles: vencedores.

Psicologicamente em jogo…

Belas e Mestres, o novo Big Brother!

Pois é, já sabem que acho uma certa piada em vir comentar programas de televisão. E isto é para poderem dizer aquela deixa “Falam mal, falam mal, mas a verdade é que vêem”. É verdade, confesso que vi o início do programa, especificamente com o objectivo de fazer um post sobre ele! (isto é dedicação bloguista, não digam que não!)

Ora, supostos objectivos do programa:
– Sabemos que os portugueses gostam deste tipo de programas – isto é – de espreitar vidas alheias!
– Sabemos que os portugueses adoram um bom romance à lá novela, e se houver sexo à mistura, melhor.

Por aí, o programa tem como ter sucesso (a nível de audiências). E obviamente, sabemos ser esse o interesse da estação televisiva em questão.

Teoricamente, o programa pretendeu encontrar pessoas, que se enquadrassem o mais possível, em dois tipos de estereótipos.

– “A burra loira”, como quem diz, a gaja super super gira, e super super burra.
– E uma espécie de “geek”. O gajo supostamente desajeitado, sem grande jeito com as mulheres, mas extremamente inteligente.

Quanto a elas, pelo menos parece haver ali uma bela amostra de burrice. Tendo em conta pérolas como:

Pergunta: “Então quais são as regiões autónomas de Portugal?”
Resposta…”Hein? Hmmm…Lisboa?”

Pistas: “(Sendo suposto identificar uma fotografia): Foi a única Primeira-ministra mulher de Portugal…Têm nome de passarinho! Maria de Lurdes…….vá…nome de um passarinho?”
Resposta: “Piriquito? Oo”

(ou chamar Napoleão a Bocage, e Gorbanov a Gorbatchev).

Pergunta: Qual a capital da Arábia Saudita? Resposta: Paquistão?

Pergunta: Então diz-me lá o que já sabes da África? Resposta: É o segundo maior continente… Pergunta: Então e qual é o maior? Resposta: Os Estados Unidos?…ah não… a América do Norte?

Quanto a eles, bem, ainda não mostraram ser nada de extraordinário. Eles acabam por não ter de provar que são inteligentes, fazendo-se disso como facto assente (pela simples frequência ou término de uma licenciatura, e o arzinho de geek?). E pareceu-me extremamente ridícula, a ideia de que um dos objectivos para eles, seria “ganhar músculo”. Uh… interessa assim tanto? Oo

O programa tem gerado alguma discussão, acerca de até que ponto, alimenta um estereótipo de que as mulheres são burras, e os homens inteligentes. Penso que não é nada disso que se trata, e a resposta é simples. Queriam juntar, pessoas inteligentes (e que não primassem pela beleza), para que pudessem de algum modo, tentar ensinar pessoas burras (por sua vez, belas). Ora… gajas boas dá mais audiência que gajos bons, é um facto (por isso as burras, tinham de ser elas). E sexo dá audiência (dai a ideia de juntar duas pessoas de sexo oposto). Não deve ser difícil perceber-se isso.

Fica a piada das calinadas que se ouvem…

Até as do júri, como, em palavras de Rui Zink “São tão fofinhos (um dos casais), que até dormia no meio deles”.

Psicologicamente a comentar mais um Reality Show!

(E com outras novidades, e como sabem que eu até tenho um gostinho por Magic, the Gathering. Já viram esta nova comic? Vá, vão ver.)

E porque também há gajas que jogam – Pré-Release de Planar Chaos – Magic: The Gathering (21-01-2007)

Este será um post um pouco diferente do habitual. Mas, se em tempos falei de Wolfgame, hoje o jogo é outro: Magic, The Gathering.

Muitos devem ser os que já ouviram falar de Magic, ou que conhecem ou conheceram alguém que já jogou, que já jogaram em tempos, ou que ainda jogam. Pessoalmente, já há uns belos 10 ou 11 anos que “tomei contacto” com o jogo, chegando a experimentar jogar, mas só actualmente me apeteceu, de facto, tentar jogar mais a sério. (isto é, aprender mesmo). E depois de um mesito e tal a jogar, apeteceu-me experimentar ir à Pré-Release do passado domingo.

É sempre engraçado verificar o escasso número de raparigas neste tipo de eventos: não sei se por falta de interesse, de contacto, se pelo estereótipo associado aos homens… well, o que interessa é que há sempre algumas excepções, e chega a ter uma certa graça a forma como alguns jogadores reagem à presença de raparigas. (obviamente que são extremamente bem recebidas).

E se esta introdução do post, não passa de uma achega às diferença entre os sexos neste tipo de coisas, a segunda parte do mesmo, só dará algum interesse a quem gostar do assunto, por isso os restantes escusam de continuar a ler =P

Ora, sendo a Pré-Release, no formato Sealed Deck, são-nos fornecidas 90 cartas + terrenos básicos, para construir um deck de 40 cartas (mínimo).

Vou deixar aqui a lista das minhas 90 cartas, para quem queira pensar em quais escolheria, e posteriormente colocarei a minha escolha. (ps – não é nenhuma escolha de “pró”, tendo em conta o 29º lugar, em 52 jogadores, e já pensei em algumas opções alternativas que poderiam ter resultado de forma diferente…)

Artefactos – Artifacts (3)
Prismatic Lens – Lente Prismática
Phyrexian Totem – Totem Phyrexiano
Triskelavus – Triscelavus

Terrenos – Lands (1)
Saltcrusted Steppe – Estepe Salina

Azul – Blue (16)
Timebender – Subjugador do Tempo
Screeching Sliver – Fractius Guinchante
Think Twice – Pensar duas Vezes
Fathom Seer – Vidente de Braças
Dreamscape Artist – Artista Paisagilusionista
Wistful Thinking – Pensamento Sombrio
Erratic Mutation – Mutação Errática
Bewilder – Desnortear
Spellshift – Magitransformação
Voidmage Husher – Silenciador Mago do Vácuo
Frozen Æther – Éter Congelado
Telekinetic Sliver – Fractius Telecinético
Auramancer’s Guise – Fachada do auromante
Synchronous Sliver – Fractius Sincrónico
Magus of the Jar – Mago do Jarro
Eternity Snare – Armadilha da Eternidade

Vermelho – Red (13)

Firefright Mage – Mago Ignintimidador
Brute Force – Força Bruta
Ground Rift – Fenda do Solo
Fury Charm – Medalhão da Fúria
Kobold Taskmaster – Capataz Kobold
Rift Bolt – Raio da Fenda
Prodigal Pyromancer – Piromante Pródigo
Needlepeak Spider – Aranha dos Picos (2)
Bonesplitter Sliver – Fractius Lasca-Ossos
Flamecore Elemental – Elemental Âmago de Fogo
Word of Seizing – Palavra de Controle
Battering Sliver – Fractius Demolidor

Preto – Black (16)
Call to the Netherworld – Chamado ao Mundo dos Mortos
Cradle to Grave – Do Berço ao Túmulo
Rathi Trapper – Armadilheiro de Rath
Circle of Affliction – Círculo da Aflição
Feebleness – Debilidade
Undertaker – Cangalheiro
Melancholy – Melancolia
Strangling Soot – Fuligem Estranguladora
Skulking Knight – Cavaleiro Tocaieiro
Sudden Death – Morte Repentina
Brain Gorgers – Devoradores de Cérebro (2)
Tendrils of Corruption – Gavinhas da Corrupção
Cyclopean Giant – Gigante Ciclópico
Dread Return – Retorno Aterrorizante
Bog Serpent – Serpente de Pântano

Branco – White (19)
Mana Tithe – Dízimo de Mana
Gaze of Justice – Olhar da Justiça
Sidewinder Sliver – Fractius Víbora-Cornuda
Errant Doomsayers – Augure do Infortúnio Errante
Revered Dead – Morto Reverenciado
Knight of the Holy Nimbus – Cavaleiro do Nimbo Sagrado
Aven Riftwatcher – Vigia das Fendas Aviano (2)
Saltfield Recluse – Eremita dos Campos Salinos
Serra’s Boon – Dádiva de Serra
Icatian Crier – Estafeta Icatiana
Poultice Sliver – Fractius Cataplásmico
D’Avenant Healer – Curandeiro D’Avenant
Shade of Trokair – Sombra de Trokair
Pallid Mycoderm –Micoderme Pálido
Calciderm – Calciderme
Castle Raptors – Raptores do Castelo
Gustcloak Cavalier – Cavaleiro do Manto Eólico
Crovax, Ascendant Hero – Crovax, Herói Ascendente

Verde – Green (18)
Healing Leaves – Folhas Restauradoras
Magus of the Candelabra – Mago do Candelabro
Keen Sense – Percepção Aguda
Thallid Shell-Dweller – Talídia Caracol
Pendelhaven Elder – Anciã de Pendelhaven
Seal of Primordium – Selo do Primórdio
Æther Web – Teia Etérea
Gemhide Sliver – Fractius Pele Preciosa
Mire Boa – Jibóia Lamacenta
Vitaspore Thallid – Talídia Vitasporo
Evolution Charm – Medalhão da Evolução
Citanul Woodreaders – Xilodecifradores de Citanul
Glass Asp – Áspide de Vidro
Reflex Sliver – Fractius com Reflexo
Penumbra Spider – Aranha da Penumbra
Savage Thallid – Talídia Selvagem
Giant Dustwasp – Vespa-Poeira Gigante
Wild Pair – Dupla Selvagem

Multi-Color (4)

Dementia Sliver – Fractius da Demência
Merieke Ri Berit – Merieke Ri Berit
Frenetic Sliver – Fractius Frenético
Darkheart Sliver – Fractius do Coração Sombrio

Se quiserem pensar um pouco no que fariam, à vontade.
Leia o resto deste artigo »